sábado, 20 de agosto de 2016

[ ri.acho ]



































(1)








sobre azul escurecido de folhas chove um tempo . entre pingos me re.parto . espreito círculos concêntricos que me tocam em absoluto . mira: pássaros escondidos na beleza do instante . frio ausente conspira com ventos inexistentes . gotas se apegam em um pouco de lilás . nem dia nem noite assumem tal hora . talvez correnteza abstrata conduza teu riso . sobre a paisagem, luzes nascerão e nunca pra serem menos que eternas . insurgentes são meus gritos ainda mudos . no reflexo dessa água.movimento flagro teus silêncios propositais . notas se desprendem do azul liláceo que desafia meus olhos . névoa de quase noite se avizinha . sei que preciso ler o que vai no breu que ainda não diviso completamente . tintas despidas de cores molham desenho de galhos . outras chuvas se me instauram em dignidade de brilhos . sou riacho provisório sem cheias ou secas, apt@ a narcisos .




20.08.2016




Andréa Mascarenhas







---------------
(1) IMAGEM: https://lh5.googleusercontent.com/-TYZSW13nYMA/UiH35AVkgiI/AAAAAAAACXY/MWjtnxBUWsY/w500/%C3%B6zel4.gif






Nenhum comentário:

Postar um comentário