domingo, 12 de dezembro de 2010

pensamento alado






















 (segunda versão)



| pensamento alado |


hoje  
dia e chuva  
conversão  


medida de poesia


palavras molhadas  
necessidade  
cai, céu


alma  
(in)saciada  
gotas pesadas


corpo de vida
lavado
em palavras


acordo/AR
frio
quase
in(c/s)ipiente


revolvo crateras
busc@ tudo


passeio pensamentos
pra longe
quimera


vou ao passado
rumo
ao que não tem
fim...





(primeira versão)


Hoje o dia traz chuva, que quero converter na medida da poesia...



   Palavras molhadas pela necessidade que cai do céu...



      Alma que ainda não se saciou com as gotas pesadas...



         Corpo de vida em palavras lavado....



         Acordo com o frio quase in(c/s)ipiente



      revolvo crateras em busca de tudo



   passeio o pensamento pra longe-quimera



vou ao passado em busca que não tem fim...




12/12/2010



Andréa do N. Mascarenhas Silva


-----------
Imagem: acervo particular da autora.


segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

SONHO...



Uma espécie de muiraquitã cruzou meus caminhos...
... e o cheiro de mistério, cor de ambar disfarçado,
fez morada em meus arquivos...

Quero preencher os espaços com palavras de luz...
na memória passeiam fantasmas de minhas invenções...
rasgo a roupa da coragem e ouso lembrar...

...


É que o passado sempre me chama, mas piso o futuro...

...

Acordo da dor tingida em outras cores, tuas cores...




Andréa do Nascimento Mascarenhas Silva

(Texto escrito em meio virtual, aos pedaços. EM: 29 e 30/10/2010, novembro e dezembro/2010)

--------------
(1) IMAGEM - http://1.bp.blogspot.com/_KeZ88eYG6EU/TPxba5RZMnI/AAAAAAAACUw/XRX8vOnKLbs/s400/SONHO+GIRL%255B1%255D.JPG

quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

poema azul-mar




poema azul-mar


parto com meu barco
a navegar estas paredes
só vislumbro um naufrágio

vou tomada por tuas ondulações
pescar ilusões embaraçadas
na rede das (a)sensações

escamas por toda parte
odores, ondas quebrando, redemoinhos
desaguo na praia d'esperança

apesar dos maremotos
vendavais me conduzem a outros mares
lá sou mais que mito-sereia-feitiço



30/11/2010

Andréa do N. Mascarenhas Silva

----------
FOTO: (acervo particular)

poema limado no dia


 (1)


poema limado no dia


fiz morada da destruição

dos cacos compus um gênero

procurei arte nos estilhaços

moro na inter(seção)



o desenho do gradil me inspira

transponho sonhos para a vida

não afundo na nuvem como parece

faço dela trampolim



observo a pedra sempre diversa e quase igual

a multifuncionalidade do limo me intriga

a resistência intemporal da arquitetura me alenta

desenho meu mundo com rendas e ventos



interesso-me pelo meio

pelo rastro

pelo instante fugidio

pelas tangentes

pelo que se esconde

e pelo que faz questão de ser visto

ensaio um passo em zig-zag

e ainda não encontro as três linhas dessa costura







02/08/2010


(Andréa Mascarenhas)
------------------------
(1)
FONTE da imagem:
www.flickr.com/photos/meyokoillustrations/ e
www.booooooom.com/wp-content/uploads/2008/12/meyoko_01.jpg