quinta-feira, 15 de agosto de 2013

[deixa]




(1)






apagar a noite com velas acesas, não importa . em vagas noites quero teu sono . cumpro a trajetória dos dias acelerados em consciente marcha lenta . atrevo-me a ser só em franco desafio de ser contigo . inauguro melodias pra cantar uma saudade valente, em que me sei em ti . ventos que me inventam somente pra ser brisa e já morar em nossa imensidão . não deixo de me importar com primaveras murchas, mas não posso seguir o desengano . sou de frio que não se avizinha por medo de nossas eternas aparências . encantos me tomam inteira, nua de qualquer verniz . agora ouço tuas tardes apressadas a ralhar por mim . a porta mente, entre ser e estar, pronta para passagens . nosso tempo possível é mais que entre . deixa eu brincar de ser contigo toda manhã . a partir de agora sempre em começo . embarco na neblina que nos divisa pra não sermos sós . arrasto a vista por tuas paisagens líricas e lá monto morada eterna .



Andréa do Nascimento Mascarenhas Silva


15.08.2013

------------
(1) FONTE DA IMAGEM: http://2.bp.blogspot.com/-536GYkej13Q/TcG_FU0qXDI/AAAAAAAABoQ/XtSThYp-W7g/s400/porta+entreaberta+PAULA.jpg

2 comentários:

  1. Que bom, minha querida paulistinha!!!!! E melhor ainda ver vc por aqui!!! Bjinho no <3

    ResponderExcluir