quinta-feira, 14 de fevereiro de 2013

[primavera azul]


 

  (1)




pétalas voam ao meu redor . sertão me recebe quente . sol inunda meus dias e já chegam em flores . borboletas amarelas carregam o fres[cor] que preciso . madrugada amiga abre-me as horas . sinais, ritos e passagens ensinam-me a contra.mão . recordo o som de tuas auroras brancas e perco a noção que vem do tempo . acordo luas.meninas pra acompanhar meus passos noturnos . registro a sombra de vãos momentos que se querem perdidos em meu esquecimento ainda alerta . abraço a calma que teima em me deixar . sereno espanta o grito indeciso na garganta . acontece que ponho-me em revista assim que descubro medos . quero sempre presença, mesmo disfarçada em atenção distraída . e que seja tua a sentença mais lírica e teimosa até chegar aqui . lerei a vida em teus versos invisíveis e nunca haverá certezas entre nós .



 

22.09.2012
 


Andréa do N. Mascarenhas Silva

-------------
(1) Imagem - http://www.flickr.com/photos/unaciertamirada/7334800372/

Nenhum comentário:

Postar um comentário